Volta às aulas no próximo mês gera debate

 Volta às aulas no próximo mês gera debate

A volta às aulas presenciais, prevista para acontecer no próximo mês, de forma gradativa, tem gerado discussão. Com indício de queda nas mortes e casos por covid-19, o retorno às salas tem sido avaliado. Na região, autoridades divergem sobre a situação. Atualmente, as aulas são feitas de forma remota. 

As atividades pedagógicas presenciais no Estado foram paralisadas em 19 de março e estão suspensas até 12 de outubro. A definição vale para as redes pública e privada, municipal, estadual e federal, relacionadas à educação infantil, nível fundamental, médio, educação de jovens e adultos e ensino técnico.

O secretário de Estado da Educação, Natalino Uggioni, sinalizou que o retorno depende da evolução da doença no Estado, mas que deve ser opcional e iniciar por alunos do terceiro ano do ensino médio e por estudantes com maior dificuldade nas atividades escolares não presenciais. 

Para o professor Maurício da Silva, que há mais de 40 anos atua na área da educação, o retorno precisa ser avaliado por autoridades de saúde. “São eles que têm todas as ferramentas para avaliar se será seguro ou não. Defender qualquer ponto de vista é arriscado. Precisa ser avaliado como está o comportamento das pessoas. Não podemos agir como se a pandemia tivesse acabado”, destaca o educador. 

Diante do cenário atual, o diretor-presidente da Fundação Municipal de Saúde (FMS), Daisson Trevisol, diz que a volta às aulas não é uma decisão exclusiva municipal. “Mas sim do Estado. Temos uma comissão que está discutindo esse retorno. Acho bastante cedo para analisar isso. Acho que não deve ser liberado ainda, pois ainda estamos numa fase delicada, apesar dos números terem diminuído. Que essa liberação seja primeiro pela educação de adultos. Na minha opinião, podemos aguardar mais. Se ficamos até agora sem atividades de aulas, poderemos ficar até o fim do ano”, diz Daisson. 

Na próxima semana, o governo do Estado deve se pronunciar estabelecendo uma nova data para retorno ou os critérios para a volta no dia 13 de outubro. O Plano de Contingência Estadual para Educação (PlanCon) para o retorno das atividades presenciais já está finalizado.

Fonte: Diário do Sul

Victor Hugo

Related post