Vereadores de SC são impedidos de entrar na Câmara municipal após operação policial

 Vereadores de SC são impedidos de entrar na Câmara municipal após operação policial

Os 13 vereadores de Laguna, no Sul catarinense, foram impedidos de entrar no prédio da Câmara Municipal após a segunda fase da Operação Seival realizada na manhã de quinta-feira, 24. Na ação, três dos vereadores foram presos preventivamente e um foi afastado das atividades. Um secretário municipal também foi preso de maneira preventiva e quatro empresários foram presos por mandado de prisão temporária durante a operação. Os processos estão em segredo Justiça.

Os vereadores podem continuar exercendo a função por meio de seções on-line. No entanto, não podem entrar no imóvel. O período em que a restrição permanecerá em vigor não foi informado.

A operação foi realizada pela força tarefa composta pela Polícia Civil e MPSC, que investiga os crimes de fraude em licitação, corrupção ativa e passiva, organização criminosa, lavagem de dinheiro e peculato — que consiste em apropriar ou desviar dinheiro público. A suspeita é de crimes em Laguna e no Instituto de Previdência do Estado de Santa Catarina (Iprev).

De acordo com a promotora de Justiça, Bruna Gonçalves, a restrição ao prédio tem como objetivo proteger a investigação. “Porque estão sendo ouvidas as testemunhas e também por causa da análise pericial que tá sendo realizada na câmara”, disse.

Durante a operação, foram cumpridos ainda 120 mandados de busca e apreensão em Florianópolis, Navegantes, Itajaí, Tubarão, Criciúma, Imbituba, Imaruí e Capivari de Baixo, além de Laguna, que resultou em equipamentos e documentos apreendidos.

“Os próximos passos são a análise da documentação apreendida, a oitiva de testemunhas, o interrogatório dos investigados. Os que têm prisão temporária, nós temos o prazo de cinco dias das prisões, podendo haver a prorrogação por mais cinco dias”, disse a promotora.

Segundo o delegado Marcus Fraile, da Diretoria Estadual de Investigações Criminais (DEIC), apesar das investigações e dos mandados serem em várias regiões de Santa Catarina, o grupo atuou especificadamente na cidade de Laguna.

A primeira fase da Operação Seival ocorreu em novembro de 2017, em Laguna. Na época, vereadores foram presos e um deles perdeu o mandato um ano depois.

Fonte: G1 SC

Victor Hugo

Related post