“Tubarão não é burro de carga de vocês!!!”, a afirmação é do vice-prefeito, Caio Tokarski

 “Tubarão não é burro de carga de vocês!!!”, a afirmação é do vice-prefeito, Caio Tokarski

Desde o surgimento do novo coronavírus, governos municipais tomaram uma série de ações para diminuir o impacto da doença na população da região. Na última semana, por exemplo, foi recomendado pelo Comitê de Saúde Regional da Amurel, que as 18 cidades de abrangência da Associação dos Municípios da Região de Laguna cumprissem uma nova quarentena.

Porém, a medida não foi aceita por todos os gestores municipais, que resolveram seguir outras recomendações. Tubarão, maior município da região, foi a primeira cidade a seguir as recomendações. Com mais de 105 mil habitantes e com dois hospitais com leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI), os gestores seguiram as medidas e mantiveram apenas os serviços essenciais na cidade.

A Cidade Azul e outros municípios decretaram quarentena mais rígida na semana passada com fechamento de comércio e outras atividades, enquanto outros governantes municipais decidiram flexibilizar os serviços. Nesta semana, o vice-prefeito de Tubarão, Caio Tokarski (PSD), se posicionou sobre o não acatamento das recomendações dos chefes do poder Executivo de algumas cidades da Amurel.

“Às vésperas do encerramento da tentativa de quarentena regional frustrada, pela falta de solidariedade de alguns municípios, e principalmente de manutenção de posições acordadas na reunião da Amurel, venho não na condição de vice-prefeito, mas como tubaronense, manifestar meu posicionamento sobre os próximos passos a serem tomados no combate a pandemia.

Considero muito importante que medidas continuem a serem implementadas, mas daqui pra frente não podemos aceitar que, apenas Tubarão e outros municípios que cumpriram a decisão desde o início, paguem essa conta, em detrimento de outros que voltam atrás, que enfrentam judicialmente e outros Prefeitos através de áudios debocham da situação grave que estamos vivendo.

Temos que cuidar e salvar vidas e essa tem que ser a prioridade de todos nesse momento, não de apenas alguns. Nosso setor produtivo vem colaborando e ajudando nesse enfrentamento, mas não pode pagar a conta da irresponsabilidade e falta de compromisso desses gestores sem coragem e populistas.

Daqui pra frente ou todos seguem as mesmas regras de enfrentamento, ou não podemos mais exigir que apenas os nossos paguem essa conta.

Que me perdoem os municípios de Capivari de Baixo, Pescaria Brava, Treze de Maio, Pedras Grandes, Armazém, São Martinho, Imaruí, São Ludgero que cumpriram espontaneamente o combinado. Aos demais fica o recado que Tubarão não é BURRO DE CARGA de vocês!!!”

Municípios como: Braço do Norte, Rio Fortuna e Grão-Pará resolveram não seguir as recomendações. O Ministério Público (MP) da Comarca de Braço do Norte entrou com uma ação pedindo que as três cidades seguissem as medidas sugeridas pelo Comitê. No juízo da Cidade do Vale, os três municípios saíram-se vencedores, entretanto, o MP recorreu ao Tribunal de Justiça, em Florianópolis que decretou que as recomendações deveriam ser seguidas. Os municípios agravaram, mas não conseguiram mudar a decisão no colegiado do TJ.

Jaguaruna, Imbituba e Laguna por sua vez, também adotaram medidas mais flexíveis, porém com a decisão do Tribunal de Justiça desfavorável aos municípios da região do Vale, as três cidades do litorâneas resolveram seguir as recomendações do Comitê. Na semana passada a classificação de risco potencial da região era gravíssimo. Nesta quarta-feira, a situação é de risco grave.

Foto: Matheus Madeira – Fonte: Notisul

Victor Hugo

Related post