‘Não vejo que seja um momento de aumentar ou revisar regramentos’, diz secretário de Estado da Saúde

 ‘Não vejo que seja um momento de aumentar ou revisar regramentos’, diz secretário de Estado da Saúde

A Secretaria de Estado da Saúde de Santa Catarina (SES) atualizou nesta quarta-feira, dia 18, a matriz de risco potencial da Covid-19 no Estado. Três regiões catarinenses estão na classificação gravíssima (cor vermelha), uma delas a Associação dos Municípios da Região de Laguna (Amurel). As demais regiões estão na classificação grave (cor laranja).No dia 22 de outubro, a maioria das regiões de Santa Catarina estava em nível de risco alto (cor amarela), a melhor condição atingida até o momento. Mesmo com o quadro apresentando uma piora a SES ainda não projeta alterações nos regramentos.

“Não vejo que seja um momento de aumentar ou revisar os regramentos”, destacou o secretário de Estado da Saúde, André Motta Ribeiro, em entrevista ao programa Tudo a Ver, da Rádio Eldorado.

Ribeiro lembrou que no Estado quase todas as atividades econômicas em Santa Catarina já estão com protocolos sanitários elaborados. “O que a gente precisa entender neste momento é que as regras precisam ser cumpridas. As pessoas possuem suas liberdades, ma precisam entender que a Covid-19 é uma doença coletiva e as ações individuais refletem na propagação da doença”, destacou.

Plano de contingência para o verão

Santa Catarina também é um Estado turístico e, durante o verão, as praias catarinenses recebem milhares de turistas. “Ainda mais neste ano em que as viagens para o exterior estão mais difíceis. Estamos projetando um grande número de visitantes em nosso Estado”, projetou. Por isso a SES já trabalha para criar um plano de contingência para evitar a elevação da curva de contágio durante a temporada.

Nas últimas semanas, principalmente no feriado do 12 de outubro, aglomerações foram registradas em praias do Sul catarinense, principalmente na Praia do Rosa, em Imbituba, cidade que faz parte da Amurel, hoje em situação de risco gravíssima.

“O Estado paga um preço por ser um lugar bonito e turístico. E estamos preocupados com o verão. Estamos montando esse plano com a participação de setores privados, principalmente o de turismo e demais áreas de suporte, como restaurantes e outros. Precisamos fazer esta discussão para saber como vamos encarar o verão. Estamos planejando para, em breve, colocar em prática”, pontuou.

Fonte: Engeplus

Victor Hugo

Related post