Grão-Pará volta a discutir a crise hídrica

 Grão-Pará volta a discutir a crise hídrica

Reuniram-se na tarde desta quinta-feira, dia 28 de maio, para avaliar e quantificar os danos ocorridos em virtude da estiagem no municipio de Grão-Pará, os membros da Coordenadoria Municipal da Defesa Civil de Grão-Pará Sr. Dione Heinzen e Rosilda Perin Böger, o Prefeito de Grão-Pará, Márcio Borba Blasius; o Vice-prefeito, Ademir Bonetti; o Diretor da SAMAE, Enio Bagio; os representantes da EPAGRI, Darci Pitton Filho, Thiago Matujacki e Sonia Bruning Ascari; o Presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Grão-Pará, José Schimitt Bussolo e a Superintendente da FAMGP, Liandra Hilman Pazeto.

A estiagem teve início em 03 de fevereiro de 2020 e, segundo a previsão meteorológica, continuará nos próximos meses. De acordo com os dados explanados na reunião, cerca de 100 famílias estão com falta de água no interior do município. De acordo com o diretor da SAMAE, Enio Bagio, nos últimos dias aproximadamente 35 famílias solicitaram ligação de água em suas residencias na localidade de Rio Pequeno.

Ainda na reunião foram quantificadas as perdas que ocorreram no município em relação ao gado de corte, pecuária e à pecuária de leite, onde estima-se a perda de 30%, que em valores representa a perda de R$ 350.000,00 (trezentos e cinquenta mil reais) e R$ 2.450.000,00 (dois milhões, quatrocentos e cinquenta mil reais), respectivamente. Em relação às lavouras de milho, milho safrinha, milho forrageiro e feijão, houve a perda estimada de R$ 1.588.183,00 (um milhão, quinhentos e oitenta e oito mil, cento e oitenta e três reais). Nas lavouras de fumo, estimam-se a perda financeira de R$ 178.000,00 (cento e setenta e oito mil reais).

E, ainda, para auxiliar na continuidade dos trabalhos, a SAMAE irá disponibilizar água para o Frigorífico Catarinense Ltda por dois finais de semana.

Victor Hugo

Related post