Decreto publicado por São Ludgero visa desacelerar o crescimento de casos confirmados do Coronavírus

      Diante do aumento acelerado de casos confirmados de Coronavírus e também o aumento do número de suspeitos, São Ludgero publicou o Decreto 22/2020, que somada a intensificação da fiscalização pela Polícia Militar conjuntamente com o setor de saúde, tem como objetivo fazer com que muitas pessoas e estabelecimentos passem a adotar as medidas básicas de proteção e a cidade volte a ter um crescimento gradual, mais lento. Caso serem flagrados infringindo os regramentos, as pessoas e responsáveis por estabelecimentos responderão por crime a saúde pública. Se continuar neste ritmo, quem necessitar de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) através do Sistema Público de Saúde (SUS) pode não conseguir vaga.

        As pessoas são obrigadas a usar máscara ao saírem de suas casas, nos setores públicos e estabelecimentos comerciais diversos. Por parte dos estabelecimentos a disponibilização do álcool em gel 70% para esterilização das mãos e a garantia que o distanciamento entre pessoas seja mantido envolvendo clientes e funcionários reforçando as regras específicas para aqueles com grande movimentação a exemplo de bancos, mercados, restaurantes e academias.   

       O decreto prevê ainda que pessoas fiquem em isolamento social, se deslocando apenas quando for necessário, a exemplo da ida e vinda ao trabalho ou comércio local. As pessoas monitoradas por determinação médica para o isolamento domiciliar, como suspeitas ou já confirmadas em relação ao Coronavírus, estão proibidas de circular pela cidade. Aglomerações em residências com pessoas que não sejam as residentes do domicílio, os conhecidos churrascos entre amigos, as reuniões e festinhas, tudo está proibido. Aglomerações em praças, parques, espaços públicos, pontos turísticos também não é permitido, salvo movimentação de passagem.

    Sobre o decreto e a intensificação da fiscalização com o apoio da Polícia Militar o prefeito de São Ludgero, Ibaneis Lembeck, o Iba, a decisão é pautada na saúde pública diante do relaxamento nos cuidados básicos por parte das pessoas e falta de comprometimento de alguns comerciantes e empresários. “A pandemia está gerando prejuízos e problemas para todos os segmentos e pessoas. Será que cada um não consegue fazer a sua parte? Infelizmente é preciso tomar medidas mais rígidas. Para muitas pessoas falta respeito e educação, amor por si e aos entes queridos. A movimentação econômica dependia da retomada das atividades e acreditávamos que todos seguiriam com os cuidados básicos, com os casos confirmados surgindo de forma gradual, não comprometendo o sistema de atendimento público. As atividades retornaram, o relaxamento é o que foi percebido e sou sincero em dizer que, se continuar neste ritmo, muitas pessoas que necessitarem de uma UTI podem morrer na fila aguardando uma vaga. Não terá vagas suficientes. É preciso também pensar nas pessoas que tem outros problemas de saúde e também podem precisar da Unidade de Terapia Intensiva. E, atualmente, na era digital todos tem acesso as informações e sabem que o que digo é verdade. Meu maior desejo como gestor, juntamente com a equipe, é que todos respeitem as regras, a movimentação econômica retorne e sigamos bem gerando cada vez mais qualidade de vida e um desenvolvimento saudável da cidade”, resume.

         Pessoas e estabelecimentos comerciais infringindo o decreto podem ser denunciados através do Disque 190, pelo aplicativo PMSC Cidadão ou entrarem em contato com a Guarnição Especial de Braço do Norte pelo fone 3651 1896.

Victor Hugo

Related post